Um procurador italiano pediu, em tribunal, que Amanda Knox fosse condenada pela morte de Meredith Kercher com uma sentença de 30 anos: 26 por crime e quatro por calúnia.

Alessandro Crini pede ainda que o ex-namorado de Knox, Raffaele Sollecito, seja condenado por 26 anos.

O requerimento foi feito dois dias depois das alegações finais do novo julgamento pelo assassinato brutal de Meredith Kercher, em 2007, na casa que partilhava com Knox em Perugia.

Kercher, de 21 anos, foi encontrada degolada no seu quarto.