Cerca de 25 mil alunos foram reprovados no exame de acesso à universidade estatal da Libéria.

A presidente liberiana, e prémio Nobel da Paz, Ellen Johnson Sirleaf admitiu recentemente que o sistema educacional do país é fraco e que muito precisa ser feito para melhorá-lo.

No entanto, é a primeira vez que todos os estudantes chumbam na entrada para a faculdade. No próximo ano letivo, a instituição não terá nenhum aluno de primeiro ano.

A ministra da Educação, Etmonia David-Tarpeh, disse ao programa da BBC «Focus on Africa» que pretende reunir com representantes da universidade para discutir o chumbo geral.

«Eu sei que há muitas fragilidades nas escolas, mas tenho dúvidas quanto à reprovação de um grupo tão grande de candidatos», considerou a governante.

David-Tarpeh afirmou ainda que conhece alguns dos alunos e as escolas que eles frequentaram. «Não são escolas que dão notas às pessoas. Realmente gostaria de ver os resultados dos exames», sustentou.

O porta-voz da universidade, Momodu Getaweh, garantiu à BBC que a instituição mantém a decisão.