A cimeira do clima de Paris (COP21) aprovou hoje um projeto de acordo para combater as alterações climáticas que deverá ser ultimado pelos ministros dos cerca de 200 países na próxima semana, para ser posteriormente assinado a 11 de dezembro.

Com esta aprovação, encerram-se seis anos de trabalhos que começaram na cimeira do clima de Durban (2011), na África do Sul, quando as negociações para um pacto global de luta contra as alterações climáticas começaram.

O projeto de acordo, que tem 48 páginas e muitas opções em aberto, é um "sinal de otimismo para a próxima semana", segundo o embaixador francês no plenário da COP21, Laurence Tubiana.
 

"Temos uma nova base para as negociações aceite por todos (…) Trata-se de escrever (o texto) a seguir", declarou Tubiana.


“O trabalho não está terminado, as principais questões políticas continuam por ser decididas. Vamos precisar de toda a nossa energia, inteligência, capacidade de compromisso, capacidade de ver ao longe para chegar a um resultado", acrescentou Laurence Tubiana.

"Como Nelson Mandela disse, parece ser sempre impossível até ser feito", disse Nozipho Mxakato-Diseko, o delegado Sul-Africano na cimeira.