O primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, admitiu hoje que era «altamente improvável» encontrar destroços à superfície do avião desaparecido da Malaysia Airlines, tendo anunciado que iria ser abandonada a procura por meios aéreos e intensificada a busca subaquática, alargando a área agora para cerca de 60 quilómetros quadrados.

«Devo dizer-lhes que é altamente improvável, nesta altura, conseguir encontrar quaisquer destroços do avião à superfície do oceano», disse a propósito do desaparecimento do avião da Malaysian Airlines.

Tony Abbott acrescentou que a Austrália iria intensificar as pesquisas submarinas, numa altura em que as buscas estão a ser realizadas da forma «humanamente possível».

É o início de uma nova fase de buscas, que poderá demorar vários meses, admitiu o responsável australiano, dizendo também que irão ser usados meios privados e os custos rondarão os 45 milhões de euros.

«O avião não pode pura e simplesmente desaparecer. Tem de estar em algum lado», disse Abbott, explicando que a Austrália não pretende desistir das buscas: «Não queremos que esta nuvem de incerteza paire sobre estas famílias e sobre as pessoas que viajam.»