A Cambridge Analytica, a empresa de consultoria por detrás da polémica sobre a usurpação de dados de cerca de 50 milhões de utilizadores do Facebook, suspendeu o CEO, Alexander Nix. Em causa, mais do que esta polémica, está uma reportagem do canal britânico Channel 4, onde Nix é filmado a sugerir a um suposto cliente (na verdade um jornalista disfarçado) práticas pouco éticas para acabar com adversários políticos.

Num comunicado, a empresa anunciou a saída de Nix.  “O Conselho de administração da Cambridge Analyticaanunciou hoje que suspendeu o CEO Alexander Nix, com efeitos imediatos e enquanto decorre uma profunda e independente investigação”, pode ler-se no documento, citado pela imprensa internacional.

Os recentes comentários do senhor Nix, secretamente gravados pelo Channel 4, bem como outras alegações, não representam os valores e atuações da empresa. A sua suspensão reflete a forma séria como encaramos esta violação.”

Alexander Nix deverá ser substituído à frente da empresa por Alexander Tayler, enquanto decorrem as investigações ao caso, que serão conduzidas por uma empresa independente e cujas conclusões prometem “tornar públicas”

De acordo com o jornal The Guardian, Nix foi visto a deixar as instalações da empresa, pelas traseiras do edifício, e não prestou quaisquer declarações aos jornalistas.

Uma reportagem do Channel 4 emitida no domingo mostrou diretores da empresa, entre eles Alexander Nix, a explicarem a um jornalista, que se fazia passar por um potencial cliente, como desacreditar os rivais políticos, envolvendo-os com prostitutas ou subornos.

O jornalista do canal britânico disse trabalhar para um cliente rico, que desejava eleger um político no Sri Lanka. Alexander Nix, diretor executivo da Cambridge Analytica, sugeriu práticas como “enviar algumas miúdas para casa do candidato” adversário. E pormenorizou: “miúdas ucranianas são muito bonitas e funcionariam bem”.

Só estou a dar exemplos do que pode ser feito e do que já foi feito antes”, resumiu Nix ao jornalista disfarçado.

Nix veio a terreiro defender-se e dizer que a reportagem "interpretou de forma errada" a conversa.