«Jihadistas» do Estado Islâmico do Iraque e do Levante crucificaram publicamente oito rebeldes sírios de um grupo que combate simultaneamente as forças do regime e os radicais, anunciou hoje o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

«O EIIL executou oito homens em Deir Hafer, no leste da província de Alepo», no sábado, por pertencerem a grupos rebeldes que combateram os «jihadistas» e as forças do regime de Bashar al-Assad, informou a organização não-governamental.

Os «"jihadistas" crucificaram-nos na praça principal da aldeia, onde os cadáveres vão permanecer por três dias», precisou o Observatório, que tem as sua base em Londres e recolhe informações junto de uma rede de ativistas no terreno.