A seleção alemã de futebol, campeã do mundo, passou a noite de sexta-feira no Stade de France, em Paris, em vez de regressar ao hotel em que estava alojada, na sequência dos atentados perpetrados na capital francesa, em que morreram pelo menos 128 pessoas.

“Quisemos evitar qualquer risco e decidimos não atravessar Paris, permanecendo nos balneários”, explicou o diretor da ‘mannschaft’ e antigo avançado Oliver Bierhoff, no regresso da seleção germânica ao aeroporto de Frankfurt, durante a manhã de hoje.

Alemanha e França defrontavam-se num jogo particular no Stade de France, palco escolhido para a final do Euro2016, quando várias explosões foram ouvidas no recinto, enquanto vários ataques coordenados ocorriam no centro parisiense

A seleção alemã apenas teve conhecimento da dimensão dos atentados "nos balneários".

Bierhoff explicou ainda que os jogadores alemães estavam "chocados" e "muito ansiosos", porque "as informações não eram muito esclarecedoras", gozando hoje um dia de descanso, sem que esteja confirmada a realização do jogo particular frente à Holanda, na terça-feira.