A Procuradoria-Geral alemã tem abertos 135 casos contra cerca de 200 residentes por terem viajado para a Síria e o Iraque para integrarem, como combatentes, as fileiras do grupo extremista Estado Islâmico (EI).

O ministro da Justiça, o social-democrata Heiko Maas, confirmou os dados, de acordo com a edição desta quarta-feira do diário Bild, que destaca que na Alemanha o direito penal para questões de terrorismo é "extremamente severo", segundo cita a Lusa.

Segundo os mais recentes dados do departamento federal de Investigação Criminal, na Alemanha vivem cerca de 43.000 islamitas. Destes, 420 são considerados "potencialmente perigosos".