A situação voltou à normalidade possível na cidade de Munique. Através do Twitter, a polícia admite, com cautela, o fim do alerta. Um dos mortos, encontrado fora do centro comercial Olympia, será o atirador que acabou por se suicidar.

Depois de manter a hipótese de haver três atiradores em fuga, a polícia da cidade alemã de Munique passou a considerar que o atacante agiu por conta própria.

Além do atirador, nove pessoas encontraram a morte no centro comercial, bastante concorrido ao final da tarde desta sexta-feira.

Além das dez vítimas mortais, a polícia confirma a existência de 16 feridos. Num hospital de Berlim, segundo um jornal local, haverá três pessoas em estado grave, facto entretanto confirmado pelas autoridades.

Na sequência do tiroteio, o Governo regional da Baviera decretou o estado de emergência.

Depois de horas sem transportes, por ordem das autoridades, a circulação foi retomada. Ainda assim, as autoridades mantêm o apelo para que a população permaneça em casa e não divulgue fotos e vídeos do que se passou no centro comercial.

Tiroteio ao final da tarde

O alerta foi dado às 18:00 locais (17:00, em Lisboa). O tiroteio ocorreu no centro comercial Olympia-Einkaufszentrum, perto do estádio olímpico de Munique. Rapidamente a área foi circunscrita pela polícia, que ali se manteve e inclusive foi reforçando os meios no local. Forças especiais foram mesmo mobilizadas, bem como helicópteros, segundo relatos dos meios de comunicação de Munique.

Com o desenrolar da situação, a polícia de Munique percebeu estar a lidar com vários atiradores. Três, segundo as últimas informações, que ainda não foram capturados e são descritos como "perigosos". Estando em fuga, as autoridades apelaram à população para que se mantenha em casa. 

A polícia apelou também aos automobilistas que evitem circular nas autoestradas em redor da cidade. A principal estação de comboios de Munique foi evacuada e a circulação de Metro e autocarros foi interrompida. Através da rede de smartphones, as autoridades declararam o estado de emergência na cidade. 

Fontes policiais de Munique admitiram haver "suspeitas de um atentado terrorista", mas descartaram à partida conexões com o terrorismo islâmico do Daesh (ISIS). 

Terror e morte

Pouco depois do início da operaçao, um porta-voz da polícia de Munique, ouvido pela estação local de televisão NTV, adiantou desde logo tratar-se de uma situação com várias pessoas mortas e feridas.

Acreditamos estar a lidar com mais do que um atirador. Os primeiros alertas chegaram-nos às 6 horas da tarde. O tiroteio aparentemente começou no McDonald's, dentro do shopping center. Ainda há pessoas no centro comercial. Estamos a tentar retirá-los", adiantou o porta-voz da polícia.

Momentos após o alarme, um empregado do centro comercial confirmou à Reuters, por telefone, que foram disparados vários tiros e que pelo menos uma pessoa tinha morrido e várias estavam feridas. Vários funcionários esconderam-se dentro do centro comercial.

Ouvimos muitos tiros, não consigo precisar um número, mas foram muitos. Muita gente entrou para dentro da loja e só vi uma pessoa no chão, que estava tão gravemente ferida que definitivamente não sobreviveu. Não temos mais informações, estamos à espera no armazém. A polícia ainda não chegou até nós", afirmou.

Uma operação policial de grande escala foi então montada na cidade de Munique.

Foi criado um perímetro de segurança em torno do centro comercial, sendo pedido desde logo à população que permanecesse em casa.

O alerta foi dado às 18:00 (17:00 em Lisboa).

Um vídeo publicado nas redes sociais mostra várias pessoas a fugir do local.

Acompanhe toda a informação na ligação AO MINUTO