“Recebê-los, providenciar-lhes abrigo e tomar conta deles – criar estas pequenas pontes ajuda os refugiados a terem um rosto e um nome”, disse Patzelt numa entrevista à cadeia de televisão alemã ARD, citada pela BBC.