Uma carta escrita pelo físico Albert Einstein foi leiloada, esta quinta-feira, em Londres, por 170 mil libras (cerca de 230 mil euros), ultrapassando largamente o valor esperado de 6.000 a 8.000 libras (8.300 a 11 000 euros).

A nota escrita em alemão, e enviada pelo físico ao filósofo Eric Gutkind a 3 de janeiro de 1954, comprova que Einstein não era religioso e via as práticas espirituais como algo “infantil” e um “produto da fraqueza humana”.
 

“A palavra ‘Deus’ não é para mim nada mais que um produto da fraqueza humana, a Bíblia uma coleção de honoráveis, mas, ainda assim, lendas primitivas que são bastante infantis. Nenhuma interpretação, por mais subtil que seja, pode mudar isso [a meu ver]”.


Como conta o “The Telegraph”, apesar de afirmar que era judeu, Einstein não via a religião como um fator de diferenciação, nem acreditava que ser religioso tornasse alguém moralmente superior.
 

“Para mim a religião judia, como as outras religiões, é a encarnação da maioria das superstições infantis. E as pessoas judias, às quais pertenço, e com as quais tenho uma profunda afinidade mental, não possuem para mim qualidades diferentes de outras pessoas. A minha experiência diz-me que não são melhores que outros grupos de humanos, ainda que estejam protegidos dos piores cancros pela falta de poder. Fora isso, não vejo nada de ‘especial’ a seu respeito”.


O físico alemão ressalva que a religião pode trazer aos seus seguidores um cero “auto-engano”, mas não acredita que melhorasse a sua moral.

A carta vendida a um colecionador privado ultrapassou o preço de um conjunto de 13 missivas e um postal leiloados em 2007 por 30 mil libras (cerca de 41.500 euros), mas ainda assim ficou aquém dos 300 mil (415 mil euros) conseguidos por um ensaio com uma carta anexa, em 2006.