São dez os locais que a revista «Time» afirma que têm de ser visitados antes que desapareçam. O mundo está recheado de locais incríveis, mas alguns deles têm tendência a desaparecer em apenas algumas décadas por causa das mudanças climatéricas.

Conheça os locais.

1. Grande Barreira de Corais, Austrália

O maior recife de corais do mundo, que cobre cerca de 344,400 quilómetros quadrados, é um dos locais mais fascinantes do mundo. No entanto, graças aos crescentes desafios ambientais têm vindo a corroer a estrutura e a mesma pode desaparecer nos próximos anos.

2. Veneza



A cidade italiana é considerada uma das mais românticas do mundo graças aos seus canais. Mas, as constantes inundações e o facto de a cidade estar a afundar pode fazer com que Veneza se torna inabitável no final deste século.

3. Mar Morto



O famoso antigo e salgado Mar Morto é um local de história e de cura. No entanto, nos últimos 40 anos, o lago encolheu em um terço e tem-se vindo a afundar. Especialistas acreditam que possa desaparecer nos próximos 50 anos.

4. Glacier National Park, Montana

O majestoso parque nacional já foi rodeado por 150 glaciares dos quais restam apenas 25. As rápidas alterações climatéricas podem levar a que os mesmos desapareçam até 2030, o que vai perturbar o ecossistema.

5. Maldivas



Com uma altitude média de apenas cinco metros acima do nível do mar, as Maldivas podem vir a ser engolidas pela água nos próximos 100 anos, caso o nível do mar continue a subir. O risco é tão elevado que o governo das Maldivas já começou a comprar terras noutros países para os cidadãos que se tenham que deslocar.

6. Seychelles

O paraíso na terra é nada mais nada menos que 115 ilhas no Oceano Índico. As Seychelles tem inúmeros resorts turísticos de luxo e uma população de cerca de 90 mil cidadãos. No entanto, as ilhas estão em perigo por causa da erosão da praia. Segundo os especialistas, todo o arquipélago pode estar submerso dentro de 50 a 100 anos.

7. Alpes



A famosa região de esqui está bastante suscetível às alterações climatéricas graças à sua baixa altitude. O glaciar Alpine perde cerca de 3% do seu volume por ano, o que leva os cientistas a acreditar que o gelo possa desaparecer por completo até 2050.

8. Magdalen Islands, Quebec, Canadá

Com praias e falésias de arenito, as Ilhas Magdalen são um refúgio encantador no Golfo de St. Lawrence. No entanto, o arquipélago é regularmente bombardeado por ventos fortes e apesar da corrente de gelo vinda do mar, a costa da ilha é corroída em cerca de 40 centímetros por ano. Outro dado bastante preocupante é que o gelo de proteção está a derreter rapidamente. Os especialistas acreditam que dentro de 75 anos a costa da ilha esteja totalmente vulnerável a tempestades destrutivas.

9. Alasca

O Alasca é um dos locais mais emblemáticos no norte da América. No entanto, a mudança climática levou ao degelo da região que provoca bastantes danos na infraestrutura assim como dramáticas alterações no ecossistema atual.

10. Athabasca Glacier, Alberta, Canadá

O glaciar mais visitado na América do Norte faz parte do campo glaciar da Colômbia, com cerca de seis quilómetros quadrados. De acordo com especialistas, o glaciar tem derretido nos últimos anos, com o seu limite sul a recuar quase 1,6 quilómetros nesse espaço de tempo. Com este ritmo, o glaciar pode perder ¿ em qualquer local ¿ entre 2 e 3 metros por ano.