A polícia italiana anunciou esta sexta-feira que desmantelou uma célula islamita na Sardenha e ordenou a detenção de 20 pessoas, suspeitas de terem participado em atos terroristas no Paquistão. Um dos alvos dos suspeitos, segundo as autoridades, era o próprio Vaticano.

Estas 20 pessoas são acusadas de pertencerem, alegadamente, a “uma organização dedicada a atividades criminosas transnacionais".

Os investigadores alegam que um dos atacantes suicidas estava a planear um ataque tendo como alvo a Santa Sé.

Os mandados de detenção referem, ainda, que se inspiravam "na Al-Qaeda e noutras organizações radicais que defendem a luta armada contra o Ocidente e a insurreição contra o atual governo do Paquistão”.

Alguns dos suspeitos terão estado envolvidos no atentado de 2009 Mercado em Peshawar, no Paquistão. Dois homens chegaram a dar proteção a Osama Bin Laden.