A Rússia admite que o ataque aéreo que lançou sobre na cidade síria de Raqqa pode ter matado o líder do Estado islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, no final de maio. Uma informação que os Estados Unidos já vieram dizer que não estão em condições de confirmar tal informação, segundo a agência AP.

O ataque aéreo deu-se depois das forças russas terem recebido a informação de que os líderes do Estado islâmico estariam a preparar uma reunião naquela cidade, disse numa declaração no Facebook o ministro da Defesa russo.

A 28 de maio, depois de drones terem confirmado a informação referente ao local e hora da reunião dos líderes do Estado islâmico, entre as 00:35 e as 00:45, as forças russas lançaram um ataque na exata localização que tínhamos", refere a nota na rede social. 

Segunda a Reuters, o Estado islâmico está próximo da derrota tanto em Mosul no Iraque como em Raqqa na Síria.

A Rússia tem apoiado as forças do governo sírio contra o Estado islâmico, sobretudo a oeste, enquanto os Estados Unidos dão apoio às forças do governo iraquiano a leste.

Na última transmissão de vídeos do líder, tornados públicos, Al-Baghdadi está vestido, com vestes pretas declarando seu califado do púlpito da mesquita medieval de Grand-Al-Nuri em Mosul, em 2014.