Os 52 passageiros do navio russo preso no gelo da Antártida viajam esta sexta-feira rumo à Tasmânia, após terem sido resgatados, numa das operações mais difíceis levadas a cabo pelas autoridades australianas no continente gelado.

Os passageiros foram retirados do Akademik Shokalskiy - preso no gelo desde 24 de dezembro - em vários voos de helicóptero até uma plataforma de gelo e depois transportados numa barcaça até ao quebra-gelo Aurora Australis, numa operação que durou várias horas.

O resgate teve lugar após várias tentativas infrutíferas, por via marítima e aérea, devido a condições meteorológicas adversas e ao gelo na zona, a 2.778 quilómetros a sul da cidade australiana de Hobart, na Tasmânia.

Os passageiros, em que se incluem cientistas, turistas e jornalistas de várias nacionalidades, já estão em mar aberto, a bordo do Aurora Australis e a caminho da estação Casei, onde o navio australiano deverá abastecer.

Depois seguirá rumo a Hobart, onde se prevê que chegue a meados do mês, enquanto a tripulação - composta por 22 elementos - permanece no barco à espera que o gelo que o rodeia derreta.

O Akademik Shokalskiy recorda a expedição efetuada, há um século, pelo explorador Douglas Mawson na Antártida, a qual ofereceu o primeiro estudo completo sobre o continente gelado.