A britânica Irenie Ekkeshis contraiu uma infeção rara que a deixou cega do olho direito por mexer nas lentes de contacto com as mãos molhadas. Agora, vive de contar a sua história e é protagonista de uma campanha de sensibilização para os perigos do contacto entre a água e estas lentes.

O drama começou em janeiro de 2011, quando Irenie acordou cheia de lágrimas no olho direito. Pensando tratar-se de “uma pequena infeção”, foi pondo gotas.

“Mas, nessa noite, eu já não conseguia entrar na minha cozinha, porque as luzes fluorescentes eram demasiado fortes. Foi doloroso”, conta, à BBC.

No hospital, fizeram-lhe logo uma raspagem da córnea: “Foi tão horrível quanto parece. Vemos a agulha a vir em direção ao nosso olho…”

Por esta altura, já a visão do olho direito não era a mesma: “Era como olhar através de um espelho da casa de banho embaciado. Eu via cores e formas, mas não muito mais.”

Irenie descobriu então que tinha “Acanthamoeba Keratitis”, uma infeção ocular rara causada por um micro-organismo que se encontra na água da torneira, no mar e em piscinas. No Reino Unido, todos os anos cerca de 125 pessoas contraem esta infeção, a grande maioria devido ao uso de lentes de contacto.

“Eu não tomava banho ou ia nadar com as lentes, mas aprendi que até o lavar as mãos e não as secar devidamente antes de pegar nas lentes pode causar isto.”

Os médicos demoraram meses a controlar a infeção e as dores que esta causava. Irenie não conseguia trabalhar e demitiu-se do emprego. Passou por dois transplantes de córnea e chegou a melhorar temporariamente, mas, entretanto, um problema na retina deixou-a completamente cega do olho direito, provavelmente para sempre.

Aos 36 anos, Irenie Ekkeshis iniciou uma campanha de informação sobre o uso de lentes de contacto. No Reino Unido, não havia nada nas caixas das lentes que alertassem para o perigo do contacto com a água.

Foto: Associação Britânica de Lentes de Contacto

Esta mulher ajudou então a criar uns pequenos autocolantes que os oculistas britânicos já podem colar nestas caixas. Neles, pode ver-se um sinal de proibição de contacto com água. A campanha já se estendeu aos EUA.

“O meu conselho para as pessoas é simples: nunca deixem as vossas lentes entrarem em contacto com água.”