Três jornalistas venezuelanos foram quarta-feira agredidos por manifestantes junto da Câmara Municipal Mário Briceño Iragorry, no estado de Arágua, a oeste de Caracas, situação que gerou revolta entre os profissionais da comunicação social.

Segundo o Colégio Nacional de Jornalistas (CNP), entidade responsável pela atribuição da carteira profissional, os jornalistas estavam em reportagem no edifício municipal quando um grupo de pessoas entrou no local e os agrediu.

O comunicado do CNP dá conta de jornalistas, como Elena Santini, que ficou com uma fratura no pé direito, ou do caso de Pedro Torres, que ficou com contusões no rosto devido a ter sido espancado.