Robert Mugabe, presidente do Zimbabué desde 1980, diz que estar no poder é «um dever divino». As declarações publicadas no jornal estatal do país, o «The Herald», no âmbito da comemoração dos seus 89 anos, esta quinta-feira.



O líder autoritário lamentou ainda a morte dos seus contemporâneos afirmando que «o senhor quis que eu continuasse. Porque é que todos os meus amigos e familiares foram e eu persisto? Não é a minha escolha. É a sua escolha».

De acordo com o jornal, Robert Mugabe proferiu estas declarações durante a comemoração do seu aniversário, no Palácio Presidencial. O presidente falou ainda sobre a política de desapropriação de terras e empresas de pessoas de cor branca, que começou há mais de uma década. «O senhor quis que sejamos zimbabuanos no nosso próprio país com direitos de propriedade sobre os nossos próprios recursos, com capacidade de defender esses direitos dos quais alguns querem nos privar», disse.

O aniversário do presidente zimbabuano é comemorado por todo o país, incluindo nas rádios do país, que emitem o «Parabéns a você», dias antes. Apesar dos rumores de que atravessa uma doença prolongada, Mugabe pretende candidatar-se a mais um mandato para a presidência do Zimbabué.