Um grupo de investigadores encontrou crocodilos misteriosos, de cor alaranjada, no Gabão. A razão para a mutação não é ainda conhecida. Contudo, esta possível nova espécie parece ter surgido na sequência das condições extremas a que se teve de adaptar.

Como conta à CNN, o cientista Olivier Testa apanhou o susto da sua vida quando ficou frente a frente com uma criatura aterrorizadora, laranja e com olhos vermelhos, numa caverna escura cheia de morcegos, neste país africano.

Devia estar a dois ou três metros de distância de mim e os olhos eram tão vermelhos que refletiam a minha luz. Estava tão assustado”.

O especialista no estudo de cavernas já se deparou com criaturas estranhas e descobertas bizarras, mas nunca como este animal.

Tratava-se de um aparente crocodilo-anão, mas com mutações bastante visíveis.

Juntamente com um colega também cientista, Matt Shirley, Olivier Testa visitou pela primeira vez o lugar em 2009. Depois disso, já fizeram mais seis visitas.

Primeiro, confirmámos que existiam crocodilos nas cavernas e, quando tirámos um lá de dentro, pudemos ver que era laranja brilhante. Foi fantástico”, explicou Testa.

O mais intrigante nestes animais é mesmo a cor alaranjada da sua pele, tendo em conta que a maior parte dos crocodilos-anão são cinzentos. Ainda que sem certezas, os cientistas justificam esta diferença com uma possível reação causada por ácido, que acaba por clareá-la.

Os crocodilos vivem em líquido – as fezes dos morcegos – que constitui um ambiente muito agreste. Ocorre uma reação química na pele, que a torna mais clara. Mas não temos ainda nada que prove isso”, disse Testa à CNN.

Também as condições em que foram encontrados não são comuns. Geralmente, os crocodilos necessitam da luz solar para ajudar a regular o seu metabolismo. Contudo, estes conseguem sobreviver durante anos na escuridão.

Como Testa conta, os crocodilos costumam sair das suas cavernas para pôr os ovos, mas estes poderão ter ficados presos. A reprodução entre os poucos crocodilos poderá ter feito com que se tenham começado a modificar.

Se pegarmos em 100 pessoas e os juntarmos por um período de mil anos, eles começam a mutar porque reproduzem-se só uns com os outros”, explicou Testa.

Ainda pouco se sabe acerca destes animais misteriosos. De acordo com a informação da CNN, apesar de terem estudado amostras de sangue dos crocodilos das cavernas e de as terem comparado com outros 200 animais fora dessa área, é difícil para os cientistas conseguir definir os parâmetros do que poderá ser uma nova espécie.

O grupo pretende agora definir os limites do habitat, para conseguir classificá-la como uma área protegida.