Desmond Tutu afirmou que preperiria ir para o Inferno do que para um Paraíso que fosse homofóbico rejeitando mesmo venerar um Deus que não olhasse com igualdade para hetero e homossexuais.

«Eu recusaria ir para um paraísio homofóbico. Eu pediria desculpa, mas diria não. O que eu quero dizer é que preferiria muito mais ir para o outro sítio», afirmou o arcebispo sul-africano, citado pela «BBC» frisando a sua convicção: «Eu não veneraria um Deus que fosse homofóbico. É desta forma profunda que eu penso sobre o assunto.»

Desmond Tutu manifestou a sua posição numa conferência patrocinada pelas Nações Unidas a favor da igualdade de direitos por parte dos homossexuais, na Cidade do Cabo, na África do Sul.

O arcebispo de 81 anos é um forte combatente daquela discriminação, assim como também foi dos rostos mais conhecidos na luta contra a segregação racial no seu país recebendo o Prémio Nobel da Paz.

Desmond tutu não deixou mesmo de comparar as duas situações: «Sou tão empenhado nesta campanha [de igualdade de direitos] como o fui em relação ao apartheid. Para mim, está ao mesmo nível.»