Quando Charmaine Keevy, de 63 anos, saiu para passear o cão, na última segunda-feira de manhã, em Port Elizabeth, na África do Sul, não imaginava o que ia encontrar. Estranhou os sinais que o seu cão Georgie deu, num determinado local, onde desembocava um esgoto. Georgie não parava de latir.

A mulher baixou-se para tentar perceber o que alertava o cão e encontrou uma menina recém-nascida, ainda com o cordão umbilical. A bebé estava completamente nua, num estado extremo de hipotermia, até porque tinha caído uma chuva fria e intensa recentemente, e estava rodeada de formigas.

Charmaine foi para a beira da estrada a acenar freneticamente aos carros e pediu ajuda. Um dos condutores que parou, Cornie Viljoen, usou uma barra de ferro que tinha no carro para espantar as formigas. Desceu até ao sítio onde estava o bebé e diz que, mal pôs os pés no chão, foi picado por dezenas de formigas vermelhas.

Quando entrei no buraco, o buraco era mais alto que eu e era tão estreito que tive de me ajoelhar para chegar ao bebé. Não o conseguia simplesmente curvando-me. As formigas estavam a picar-me as pernas, mas quando vi a bebé percebi que se tratava de uma cena de crime. Por isso, tirei uma fotografia com flash e dei o meu telefone a Charmaine", explicou Cornie ao Daily Mail.

 

Eu não sabia se a bebé estava ferida, então tentei pegá-la com muito cuidado e muito devagar, porque ela era tão pequena. Eu só queria segurá-la por um tempo, mas sabia que ela precisava de ajuda médica urgente.”

A polícia e os serviços de emergência chegaram rapidamente ao local e os paramédicos prestaram os primeiros socorros. A criança ainda estava viva e, contra todos os prognósticos, assim continua. Já foi apelidada de “bebé milagre”.

O caso está a ser investigado pelas autoridades, que acreditam que a menina atirada ao esgoto para morrer. No hospital, já se tornou uma autêntica celebridade e mimo não lhe falta. Os funcionários da unidade hospitalar apelidaram-na de Grace April.