Três jornalistas perderam esta terça-feira a vida: um foi morto a tiro no Afeganistão por um grupo de homens armados à saída da estação televisiva em que trabalhava e dois foram abatidos num atentado suicida no Iraque, refere a Lusa.

O jornalista afegão que trabalhava nas instalações da estação televisiva iraniana PressTV, em Kandahar, no Afeganistão, foi assassinado pelas 19:00 locais (14:00 GMT), de acordo com o mesmo canal.

Até ao momento, nenhum grupo reivindicou o assassínio do jornalista que já tinha sido preso em 2007 pelo exército norte-americano e que esteve dois anos no campo de detenção dos Estados Unidos, em Bagram, no Afeganistão.

No Iraque, Haidar Hashim Suhail, operador de câmara com 27 anos, e Souhaib Adnan, repórter de 30, foram mortos num atentado bombista perto de um mercado a oeste da capital iraquiana.

Os dois jornalistas iraquianos estavam a cobrir o encontro de reconciliação entre os grupos religiosos de sunitas e xiitas.

O ataque, que fez mais de 30 mortos e cerca de 40 feridos, ainda não foi reclamado por nenhuma organização mas os Estados Unidos já atribuíram o atentado à Al-Qaeda.