Os responsáveis pelos morteiros que atingiram uma festa de casamento, no sul do Afeganistão, foram os soldados que erraram os disparos, disse  fonte oficial.

«As tropas disparam rodadas de tiros de morteiro contra uma cerimónia de casamento depois de rebeldes terem atacado um posto de controlo do exército na mesma zona», afirmou Mohammad Jan Rasoulyar, vice-governador da província de Helmand, no sul do país, à agência AFP.

A tragédia ocorreu na passada quarta-feira e fez 17 mortos confirmados, de acordo com a agência de notícias francesas, embora o número avançado inicialmente tivesse dado conta de duas dezenas de vítimas.  Mulheres e crianças são a maior parte das vítimas do ataque, que fez ainda 45 feridos no distrito de Helmand Sangin, um reduto dos talibãs onde tropas norte-americanas e britânicas enfrentaram forte oposição dos fundamentalistas islâmicos. 

A tragédia deu-se no último dia de 2014 e do fim das operações de combate da NATO no Afeganistão.