Os talibãs no Afeganistão mataram uma criaça que liderou uma milícia contra este grupo rebelde. Wasil Ahmad, de 12 anos, foi morto na segunda-feira, à porta de sua casa, no Afeganistão, quando saía para comprar legumes, noticia o New York Times.

De acordo com a edição de terça-feira do New York Times, Wasil Ahmad foi atingido com duas balas na cabeça, apontadas por um atirador que seguia numa motorizada. Os talibãs já assumiram ter ordenado o homicídio do menino soldado.

Filho e sobrinho de guerrilheiros, Wasil Ahmad substituiu o tio durante 44 dias à frente de um grupo de homens que apoiava a polícia, em Oruzgan, na tentativa de neutralizar a investida dos talibãs. Wasil assumiu a posição de líder após a morte do pai e enquanto o tio recuperava dos ferimentos. “Um milagre”, descreveu o tio, Mullah Abdul Samad, como cita o jornal norte-americano. O menino soldado chegou a ser homenageado. De menino soldado a menino herói.

Histórias de meninos soldados, usados para combater os talibãs, apesar da proibição do presidente. Wasil Ahmad sobreviveu à ofensiva talibã enquanto lançava rockets de telhados às ordens do tio e veio a morrer agora, que já tinha regressado à “vida civil”. Tinha voltado à escola, frequentava o quarto ano.