Pelo menos quatro atacantes barricaram-se hoje num local próximo da presidência afegã, em Cabul, e, quatro horas depois do início de um ataque com mísseis, continuam a trocar disparos com as forças de segurança.

“O ataque ainda não terminou, continuam combates na zona. O tiroteio não é intenso, mas estão a ser disparados tiros esporádicos entre as forças de segurança e os atacantes”, disse um porta-voz da polícia de Cabul, Hashmat Stanekazi, precisando que há “entre quatro e seis” insurgentes.

O ataque começou cerca das 09:00 locais (05:30 em Lisboa), no momento em que o Presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, discursava por ocasião da comemoração muçulmana do Eid al-Adha, a “festa do sacrifício”.

Segundo o porta-voz da polícia, os atacantes chegaram numa camioneta a um mercado, que devido ao feriado religioso estava vazio, e barricaram-se.

O mercado situa-se a cerca de 800 metros do palácio presidencial, disse.

No ataque foram disparados “pelo menos três mísseis” sobre a capital, dois dos quais caíram no centro, uma zona de alta segurança onde estão instaladas a presidência, embaixadas e o Ministério da Defesa.

Um porta-voz do Ministério da Saúde disse que “o lançamento dos mísseis fez dois feridos”.

Até ao momento, nenhum grupo reivindicou o ataque.