A revista norte-americana «The Advocate», conhecida por defender os direitos dos LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transsexuais), escolheu o Papa Francisco para «personalidade do ano».

A edição publicada esta terça-feira, dia em que o Papa completa 77 anos, concede a sua capa ao pontífice, junto a uma frase proferida por Francisco numa entrevista em julho: «Se uma pessoa é gay e procura Deus e tem boa vontade, quem sou eu para julgar?».

Ainda que o Papa se mantenha contra a união de homossexuais pelo casamento, a revista afirma que o importante foi a «profunda mudança na retórica [anti-gay] em relação aos seus antecessores».

A «Advocate» escreve, ainda, que ninguém deve «subestimar a capacidade de qualquer Papa para convencer corações e mentes na abertura para as pessoas LGBT».

Na altura das declarações, o Vaticano frisou que as palavras de Francisco em nada alteravam a posição da igreja em relação aos homossexuais. Para o Vaticano, as tendências não são um pecado, mas as ações que delas resultam são.