O menino de 8 anos que no início de maio foi apanhado a tentar entrar ilegalmente em Espanha, pela fronteira de Ceuta, reencontrou-se com a mãe, noticia a BBC. 

Adou Ouattara reencontrou-se com a mãe, que vive nas Canárias, um mês depois de ter chegado a Espanha.

"A mãe chorou. Foi um dia bonito", afirmou Maria Antonia Palomo, a oficial responsável pelos assuntos juvenis em Ceuta, à AFP.

O pai do rapaz, que foi detido e acusado de tráfico de pessoas, também vive nas Canárias e tentou, repetidamente, trazer o filho para Espanha através de meios legais, mas o seu ordenado não o permitiu. O homem também atravessou a fronteira, uma hora depois, sem saber que o filho, afinal, tinha sido detetado pelos serviços de imigração. Em declarações às autoridades, o progenitor afirmou que não sabia que o plano para trazer o filho para o país envolvia uma mala. 

O pequeno Adou, o rapaz costa-marfinense tinha sido apanhado a tentar atravessar a fronteira, a 7 de maio, dentro de uma mala de viagem, tipo trolley, transportada por uma mulher de 19 anos, que levantou suspeitas na fronteira quando não quis colocar a mala no scanner. 
  
A mulher não tinha qualquer relação de parentesco com o jovem e terá sido paga para apenas transportar a mala. 

O menino recebeu um visto de um ano para permanecer no país. A Secretaria Geral para a Imigração e Emigração do ministério do Emprego concedeu a autorização de residência por “circunstâncias especiais”.