A cantora nigeriana causou uma tempestade nas redes sociais quando ofereceu a sua virgindade aos militantes islâmicos Boko Haram em troca do regresso das estudantes raptadas.

AS 276 meninas foram tiradas da cidade de Chibok pelos rebeldes, liderados por Abubakar Shekau, em abril.

A maioria das crianças continuam desaparecidas, apesar da pressão internacional para seu retorno seguro,incluindo a campanha das celebridades # BringBackOurGirls, campanha nas redes sociais apoiada por Michelle Obama e David Cameron, entre outros.

A cantora e atriz do Imo (estado do sudeste da Nigéria) é também Embaixadora da Paz da ONU e levou assim o protesto para outro extremo.

«É apenas injusto. Elas são muito jovens. Eu desejo puder oferecer-me em troca», disse Adokiye.

«São meninas entre 12 e 15 anos de idade, eu sou mais velha e mais experiente. Mesmo que de 10 ou 12 homens me queiram todas as noites, eu não me importo. Apenas libertem essas meninas e deixem-nas voltar para os pais».

Os comentários da nigeriana causaram reações distintas e alguns fãs elogiaram sua oferta como «corajosa» e nomeia a cantora de «heroína», outros interpretaram a proposta como ousada e um golpe publicitário oportunista.

O aparente sacrifício de Adokiye surge após as notícias que avança que mais 90 pessoas foram raptadas pelo grupo Boko Haram nas aldeias do nordeste da Nigéria.

Os raptos recentes ocorreram durante uma série de ataques em Borno durante a semana passada, com dezenas de pessoas mortas desde os ataques. Os sobreviventes de várias aldeias estão a refugiar-se em Adamawa, e outros ainda continuam em fuga.

Enquanto isso, pelo menos 21 pessoas morreram numa explosão em Abuja, capital da Nigéria. Mais uma vez, Boko Haram são os suspeitos de orquestrar este ataque.