O regulador do sector da aviação na China proibiu a companhia aérea Emirates de abrir novas rotas para o país nos próximos seis meses, depois de dois dos seus voos terem registado falhas de segurança.

Os incidentes ocorreram nos dias 17 de abril e 18 de maio, no espaço aéreo da cidade de Urumqi, a capital da região do Xinjiang, no noroeste da China.

No primeiro caso, o avião da Emirates voou a uma "altura errada", enquanto no segundo perdeu temporariamente contacto com os controladores de tráfego aéreo.