O grupo extremista Estado Islâmico reivindicou um atentado com um carro armadilhado que matou este domingo o governador de Áden, em Tawahi, a segunda maior cidade do Iémen, segundo a agência francesa AFP,

Num comunicado divulgado no ‘Twitter’ o grupo jihadista assume a responsabilidade do atentado, afirmando ter detonado o carro-bomba aquando da passagem do comboio do governador Jaafar Saadm em Tawahi.

Na declaração, assinada "Wilayat Aden/Abyan", duas províncias do sul do Iémen, o Estado Islâmico afirma ter matado, além do governador, oito de seus guarda-costas, e ameaça cometer novos atentados.

O ataque, no distrito de Tawahi, resultou na morte de Jaafar Saad e de um número indeterminado de guarda-costas, segundo as mesmas fontes.

No sábado, também naquela cidade do sul do Iémen, homens armados assassinaram a tiro o presidente de um tribunal especializado em casos de terrorismo e na organização Al-Qaeda.