Os Estados Unidos garantem que ainda há duros desafios no que toca ao acordo sobre o nuclear com o Irão, mas prometem não desistir do seu intuito de travar a aquisição de uma bomba nuclear por Teerão.

O secretário de Estado, John Kerry, e o seu homólogo iraniano, Javad Zarif, terminaram três dias de «intensas» negociações sobre o programa nuclear de Teerão na cidade suíça de Montreux sem chegar a um acordo, com a data limite fixada para 31 de março.

«Fizemos algum progresso e escolhas importantes precisam de ser feitas», disse Kerry, acrescentado que há «duros desafios» a ultrapassar.

Por seu lado, Zarif mostrou-se mais otimista, afirmando à agência noticiosa do seu país, ISNA, que «apesar de existirem diferenças, o acordo final não está muito longe».

No entanto, Zarif alertou que a questão das sanções, que o Irão quer ver levantadas, pode pôr em risco o acordo.

«Os países ocidentais, e especialmente os Estados Unidos, têm de decidir se querem um acordo nuclear ou querem continuar com as sanções.»