A China exortou, esta sexta-feira, a uma rápida implementação do acordo russo-norte-americano que prevê a destruição do arsenal químico da Síria, manifestando esperança relativamente a uma solução política para a crise.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Wang Yi, cujo país é membro permanente do Conselho de Segurança da ONU, disse que Pequim estava «firmemente contra o uso de armas químicas por qualquer país ou indivíduo».

«Apoiamos o rápido lançamento do processo para a destruição das armas químicas da Síria», declarou Wang Yi, na Brookings Institution, em Washington.