Notícia atualizada às 17h29

O comboio que descarrilou em Santiago de Compostela matando 79 pessoas circulava a 192 kilómetros por hora no momento que antecedeu ao acidente, segundo os dados constantes nas caixas negras. Segundos antes do acidente foi ativado o travão e o comboio saiu da linha a 153 quilómetros por hora.

Dos registos áudio é possível confirmar que o maquinista estava a falar ao telemóvel com pessoal da Renfe, aparentemente com um controlador, no momento exato do acidente. Minutos antes do descarrilamento terá recebido uma chamada no seu telefone profissional para indicar-lhe o caminho que tinha de seguir para chegar a Ferrol. Do conteúdo da conversa e pelo ruído de fundo parece que o maquinista consulta um mapa ou um documento similar em papel, informou o Tribunal.

Mais de 60 pessoas continuam internadas em diversos hospitais da Galiza, 15 delas encontram-se em estado grave.