Um casal foi acordado a meio da noite pelas autoridades para o informarem de que o seu filho tinha morrido num acidente de viação. Mas, afinal, era mentira. 
 
Os pais de Justin Priest receberam a notícia às 03:00 da madrugada. Um polícia à sua porta «lamentava informar» o casal do Alasca, nos Estados Unidos, que o filho tinha sido vítima de um acidente.

Jay e Karen Priest ficaram em choque. Avisaram a família por telefone e foram à casa do outro filho dar a notícia. De seguida, os três, ainda durante a madrugada, rumaram à casa da namorada de Justin para a avisar pessoalmente do sucedido. Tinham receio da sua reação. Afinal, namoravam há cinco anos e a jovem também já pertencia à família.

Entre lágrimas e rezas, os três chegaram à casa de Justin, em Anchorage, por volta das 05:30 da madrugada. Bateram à porta e um Justin ainda ensonado e pronto para tranquilamente ir passear a cadela veio abrir a porta.

A família passou do choque ao êxtase em segundos e os quatro abraçaram-se durante pelo menos meia hora. Entre lágrimas, rezas e muitos sorrisos.

Jay Priest contou ao «Alaska Dispatch News», na quinta-feira, que aquele foi o dia mais triste e mais feliz» dos seus 63 anos de vida. 
 
Afinal, tinha sido uma infeliz coincidência de nomes. Morreu efetivamente um Jason Priest num acidente de viação, mas tinha uma data de nascimento diferente.

A polícia já pediu desculpas à família e o comandante da esquadra reconheceu que em 19 anos de profissão nunca tal lhe tinha acontecido.