Um comboio invadiu, esta quinta-feira, uma estação em Nova Jérsia, nos Estados Unidos, provocando uma vítima mortal e 108 feridos, segundo o balanço oficial apresentado pelo governador de Nova Jérsia, Chris Christie. 

A televisão norte-americana NBC tinha avançado com três vítimas mortais, mas corrigiu o número, explicando que uma fonte hospitalar tinha adiantado que havia mais dois mortos, mas tal não se confirmou.

A vítima mortal será uma mulher de nacionalidade brasileira, 34 anos, que estaria na plataforma no momento em que o comboio abalroou a estação. O governador de Nova Jérsia, Chris Christie, confirmou que a vítima mortal não seguia no comboio, mas não revelou a sua identidade. Sem prejuízo para os resultados da investigação, o governador deixou no ar uma questão: porque é que o comboio entrou na estação com velocidade a mais. 

 O governador afastou, no entanto, outra razão para este desastre que não um acidente: 

"Não temos razões para pensar que isto foi mais do que um trágico acidente", disse Chris Christie, citado pela CNN. 

Quem pode vir a explicar o que aconteceu é o maquinista, que está internado, mas não corre perigo de vida. Chris Christie adiantou que o homem está a cooperar com as autoridades e pediu aos media "para não tirarem conclusões precipitadas". 

108 feridos

O maquinista é um dos 108 feridos deste acidente. A polícia de Nova Iorque tinha apontado, desde logo, a possibilidade de existirem "várias vítimas", já que o desastre ocorreu em plena hora de ponta da manhã, pouco antes das 09:00 locais, mais cinco em Portugal. Temia-se o pior.  

 

 

Uma conta de Twitter não oficial ligada aos bombeiros avançou pouco depois que havia uma "centena de feridos", alguns "encarcerados".

As vítimas foram transportadas para hospitais locais. Num deles, a cafetaria serviu de sala de triagem para os feridos do acidente. 

 

 

O governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, que participou na conferência de imprensa conjunta com o governador de Nova Jérsia, disse ter visto a destruição na estação de Hoboken e ficou impressionado, ainda assim, por só ter sido registada uma vítima mortal. 

Investigação em curso

O relatório preliminar das autoridades às causas do desastre aponta para acidente, eventualmente provocado por erro humano. A entidade federal de investigação de acidente ferroviários (NTSB) já está no local. A porta-voz, Bell Dinh-Zarr, disse aos jornalistas que a NTSB vai avaliar o funcionamento do sistema criado para evitar a colisão de comboios. O NTSB também vai fazer a comparação entre este acidente e outro ocorrido em 2011, naquela estação, e que fez 33 feridos na altura. 

As primeiras imagens do desastre chegaram às redes sociais através dos utentes que se encontravam na estação. As fotografias mostram um comboio que terá descarrilado e destruído parte do edifício do Terminal de Hoboken. A CNN acrescenta que parte do telhado caiu. 

Uma testemunha escreveu que a composição não parou na barreira de segurança. O comboio urbano saiu de Spring Valley às 07:23 e tinha hora prevista de chegada a Hoboken às 08:38, a última de 17 paragens. 

 

 

 

 

 

 

O terminal de Hoboken está encerrado. A estação é uma das principais portas de ligação entre Nova Jérsia e Manhattan, de acordo com a Reuters, e uma das cinco mais movimentadas na área metropolitana. Desconhece-se quando é que a circulação na linha será reposta. 

 

 

O acidente entra na campanha à Casa Branca

O governador de Nova Jérsia disse que recebeu um telefonema da Casa Branca, a demonstrar solidariedade e apoio às vítimas do acidente. Também os candidatos a Presidente dos Estados Unidos prestaram as condolências e mostraram-se solidários com os feridos, assim como agradeceram aqueles que prestaram ajuda às vítimas.