Um casal e o filho sobreviveram à queda do avião da TransAsia por terem trocado de lugar, antes de descolar.  O acidente da passada quarta-feira fez, até agora, 31 vítimas.

Segundo o jornal «United Dail», o patriarca da família, cujo apelido é Lin, pediu para se sentar do lado direito do avião porque estava incomodado com um barulho vindo da asa do aparelho.

«Sentiu-se desconfortável depois de ouvir o barulho», relata o jornal.


Depois da queda, o casal conseguiu sair do avião. De acordo com a publicação, encontraram o filho de dois anos a boiar na água «com a cara a ficar pálida e os lábios roxos». Lin procedeu às manobras de ressuscitação cardiorrespiratória, enquanto esperava as esquipas de resgate.

O piloto, identificado pela companhia como Liao Chien-tsung, uma das vítimas, tentou desviar o aparelho de um bloco de apartamentos. Os esforços ficaram registados num  vídeo, que mostra a aeronave a evitar, por pouco, a zona residencial, antes de virar à esquerda. O irmão de Lin disse à Reuters: «a ação imediata do piloto salvou muita gente. Sentimo-nos muito sortudos». 

O avião transportava 58 pessoas. Um dia após o acidente, as equipas de resgate continuam à procura de 12 pessoas que ainda estão desaparecidas.
 

«Não encontrámos sobreviventes ou corpos dos 12 desaparecidos, mas não vamos desistir. As buscas continuam», diz Yeh Chun-hsing, membro dos Bombeiros de Taipei.


Dos 58 passageiros a bordo, 31 morreram na sequência da queda do vôo GE235, da TransAsia. O aparelho ATR 72-600 virou de lado e  atingiu um táxi e uma ponte, antes de cair no rio Keelung, em Taipei. Este é o  segundo desastre da TransAsia nos últimos sete meses.