Uma cidadã australiana quebrou o silêncio sobre os abusos de carácter sexual que, alegadamente, sofreu por parte de um tripulante de cabine, durante um voo da Malasya Airlines entre Kuala Lumpur e Paris.

Laura Bushney, de 26 anos, esteve num programa de televisão australiano e relatou os abusos sofridos no passado dia 4 de agosto.

Segundo o jornal «The Sydney Morning Herald», a jovem viajava sozinha para Paris, a partir de Kuala Lumpur, um pouco assustada com o voo pelas últimas notícias que davam conta dos acidentes com aviões da companhia Malasya Airlines.

«Ele massajou-me as pernas. Estava tão assustada que só queria sair daquele avião», recordou a jovem citada ao jornal australiano. Segundo o mesmo jornal, Mohd Rosli Karim, tripulante de 54 anos, casado e com três filhos, terá colocado as mãos dentro das calças da passageira.

O medo e a insegurança tornaram-na inerte no momento em que foi abordada pelo funcionário do avião. «Não parava de dizer: porquê não grito? Sou uma pessoa forte por isso consigo fazê-lo, sei que consigo. Mas naquele momento não consegui. Sentia tanto medo e por isso petrifiquei», cita a mesma fonte.

Quando aterrou em Paris, Laura denunciou o funcionário às autoridades.

Depois dos acidentes que envolveram aviões da Malasya Airlines, este escândalo sexual não contribuiu para melhorar a imagem da companhia.

Em comunicado referido pelo mesmo jornal australiano, a Malasya Airlines confirma ter conhecimento do processo e que os membros da tripulação foram ouvidos pelas autoridades francesas. «O membro da tribulação foi detido para interrogatório pela polícia francesa», refere o documento.