A polícia de Leicestershire, em Inglaterra, realizou um filme que reconstrói a tragédia de Kayleigh Haywood, uma menina de 15 anos que foi abordada por um homem no Facebook e que acabou por morrer na sequência desse ato. Os pais de Kayleigh autorizaram a divulgação do vídeo nas escolas secundárias dos concelhos de Leicestershire e Rutland e sublinharam que “deveria ser mostrado a todas as crianças”.

O legado trágico da linda filha” foi o título dado pelos pais de Kayleigh ao vídeo de cinco minutos que mostra como a vítima foi atraída, raptada e morta. O abusador e o assassino são pessoas diferentes, que se conheciam e abusaram sexualmente da jovem.

Kayleigh foi contactada, em outubro de 2015, por Like Harlow, um fanático por filmes de terror, 12 anos mais velho do que a vítima. O criminoso confessou ter “bombardeado” a menina com milhares de mensagens sugestivas nas duas últimas semanas. A jovem foi persuadida a mentir aos seus pais e a se deslocar até ao apartamento de Harlow onde lhe foram servidas bebidas alcoólicas e onde foi, posteriormente, violada.  

No filme produzido pela polícia, chamado “História de Amor de Kayleigh”, reconstroem-se as duas últimas semanas de vida da vítima. Será exibido para adolescentes com idades superiores a 11 anos e tem como objetivo final a difusão da mensagem por todas as crianças e adultos do mundo.

Nós nunca mais iremos ver a nossa linda filha Kayleigh. O meu coração dói a todos os minutos de todos os dias. Tal como o do seu pai Martin e do seu irmão Kyle, os corações dos nossos outros filhos e de todos aqueles que conheciam e amavam Kayleigh," disse a mãe de Kayleigh, Stephanie Haywood, no primeiro dia de exibição do filme

 

Nós queremos que ela ajude a proteger outras crianças – hoje e no futuro. Quando a polícia nos perguntou, em dezembro passado, se podiam fazer um filme sobre a Kayleigh, nós não hesitámos em dar-lhes apoio total,” acrescentou Stephanie.

 

Uma história que dava um filme

Kayleigh começou a falar com Luke Harlow em 31 de outubro do ano passado. O juiz responsável pelo caso afirmou que a menina era “a última de uma lista” de jovens abordadas pelo criminoso com o objetivo de as atrair para o seu apartamento. Nos 13 dias seguintes, foram trocadas 2643 mensagens entre a vítima e o perseguidor, que lhe prometeu “dar vários presentes, disse que ela era linda, o quando se preocupava com ela e que ela era especial”, de acordo com a polícia de Leicestershire.

Harlow persuadiu a vítima a mentir aos pais e a dormir em casa dele na noite de 13 de novembro. Ela foi vista pela última vez, pelo pai, quando este a deixou nas imediações da escola, acreditando que iria passar a noite na casa da sua melhor amiga. Mas Kayleigh foi para casa de Harlow, onde ficou até às três horas da madrugada do dia seguinte, quando tentou fugir, descalça e sem parte da roupa. O vizinho de Harlow, Beadman, encontrou-a na rua, violou-a num parque das redondezas e depois perseguiu-a até uma quinta, onde a matou com recurso a agressões físicas contínuas.

Um excerto do filme de reconstituição está disponível YouTube da polícia de Leicestershire

 

A sentença já foi conhecida

Stephen Beadman foi condenado a prisão perpétua por ter abusado sexualmente da vítima e, posteriormente, a ter morto.

Antes de declarar a sentença, o juiz disse a Beadman que “a dor, o terror e a angústia vivida por esta menina é verdadeiramente horrível para se aceitar”.

Like Harlow, de 28 anos, foi condenado a 12 anos por assédio e abuso sexual de Kayleigh. O arguido, que se auto-intitulou de “assassino em série profissional” no Twitter, confessou ser culpado do crime de assédio e envolvimento sexual com a menor. O predador também admitiu que se tentou encontrar com duas outras jovens depois de as atrair através do Facebook.