Um relatório oficial divulgado esta quarta-feira acusa o clero de espancar e violentar crianças durante décadas em instituições católicas na Irlanda, refere a Reuters.

A Comissão de Investigação de Abusos a Crianças revelou, num relatório de cinco volumes que demorou nove anos para ser concluído, que os orfanatos e as escolas industriais da Irlanda do século XX eram locais de medo, negligência e abuso sexual endémico.

A Comissão, liderada por um juiz do Supremo Tribunal, denunciou gerações sucessivas de padres, freiras e Irmãos Cristãos (uma ordem religiosa católica ) por espancar e, nalguns casos, por violar crianças, desde 1930, na extinta rede irlandesa de escolas industriais e reformatórios.

«Quando confrontadas com as evidências de abuso sexual, a resposta das autoridades religiosas era transferir o ofensor para outro local onde, em muitos ocasiões, ficava livre para abusar outra vez», revela o relatório.

O relatório critica severamente o Departamento de Educação da Irlanda pela ineficácia no combate aos crimes. Nalguns casos, depois de informado sobre o abuso sexual, o órgão «compactuou, mantendo o silêncio».

Nenhum dos acusados por abuso sexual e agressão vai ser processado.