O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Jim Mattis, afirmou numa conferência de imprensa no Pentágono que considera que Abu 
Bakr al-Baghdadi, tido como o principal dirigente do autoproclamado Estado Islâmico continua vivo.

Penso que ele está vivo e acreditarei até o conseguirmos matar. Vamos continuar a procurá-lo porque assumimos que está vivo", afirmou Mattis.

Em junho, fontes militares russas anunciaram que Abu Bakr al-Baghdadi teria sido eliminado num bombardeamento levado a cabo na cidade síria de Raqqa.

Posteriormente, o escritório sediado em Londres do Observatório Sírio dos Direitos Humanos anunciou ter "informação confirmada" de que Al-Baghdadi tinha sido morto, uma notícia que, até ao momento, não foi publicamente confirmada por nenhum estado da coligação liderada pelos Estados Unidos que opera na Síria.