O líder do Estado Islâmico surgiu esta quinta-feira numa gravação, dias depois do anúncio de que tinha sido ferido ou morto num ataque na cidade de Mosul, no Iraque. A gravação aparenta ser autêntica, segundo os especialistas, noticia a BBC.

Abu Bakr al-Baghdadi pede a «erupção de vulcões da jihad» por todo o mundo e anunciou que o Califado já se expandiu para a Arábia Saudita, Iémen, Egito, Líbia e Argélia.

No seu apelo para uma união de esforços e recrutamento de islamitas, Abu Bakr al-Baghdadi exorta um ataque a comunidade Houthi, no Iémen e aos xiitas na Arábia Saudita.

O poder saudita é descrito no seu discurso como a «cabeça da cobra», como cita a Reuters.

«Ó filhos de al-Haramayn… a cabeça da serpente e a fortaleza da doença estão lá… tirem as vossas espadas e digam adeus à vida, porque não deve haver segurança para Saloul», discursou Baghdadi.

Num discurso de 17 minutos, Abu Bakr al-Baghdadi avisa que o Estado Islâmico não se vai render «nem que tenha um único combatente». Um aviso deixado aos Estados Unidos. O líder do autoproclamado Estado Islâmico anuncia que a campanha comandada pelos Estados Unidos para acabar com o Estado Islâmico está a falhar.