Um abraço é - ou devia ser - sempre mais do que um simples cumprimento. É afeto e carinho. Tem o poder de causar emoção e de fazer refletir, como este que se tornou viral: um menino branco de três anos foi fotografado a abraçar uma mulher negra, em Charleston, na Carolina do Sul. Maior força ganha não só por ser um momento feliz, como por ter acontecido poucos dias depois de um ataque racista numa igreja daquela cidade norte-americana ter matado 9 negros.

    Abraço viral foi captado pelo pai e partilhado no Facebook

Taylor Willis é a mulher negra da imagem. A criança, Parker, é filha de John Nettles, que usou o Facebook para fazer da imagem um fenómeno viral e de reflexão:

"Esta imagem foi difícil de fazer e difícil de editar ... porque Parker não entende como é poderoso o seu abraço. Para ele é apenas um abraço. Ele não entende que está a abraçar uma mulher negra e que ele é um menino branco. Ele não entende que na semana passada foi um outro rapaz branco que decidiu matar muitos negros só porque eles eram negros. Para ele é apenas um abraço a alguém. É provavelmente o abraço mais bonito que eu já vi"


Taylor e sua amiga Beth andavam pelas ruas de Charleston com cartazes a dizer "Abraços grátis" e slogans como "Charleston é forte". Uma iniciativa precisamente na sequência do ataque da semana passada. 

A polícia classificou-o como um "crime de ódio" e o presumível assassino foi detido. Chama-se Dylan Roof e tem 21 anos. A governadora do Estado da Carolina do Norte pediu a pena de morte para o jovem. 

O Presidente dos EUA, Barack Obama, tocou na ferida e disse que a América que não está curada do racismo.