A GermanWings já reagiu às informações divulgadas esta sexta-feira pelos procuradores alemães, que revelaram que o copiloto da companhia, que acionou os mecanismos que levaram à queda do Airbus A320, escondeu uma doença da empresa e devia estar de baixa médica.

Em comunicado, a transportadora aérea esclarece que «nenhum documento médico foi submetido à companhia», o que confirma a conclusão preliminar dos procuradores: Lubitz não apresentou o documento médico.

«De momento há uma cobertura mediática sobre o facto de o copiloto do voo 4U9525 ter uma baixa médica que incluía o dia do acidente, na terça-feira. A GermanWings declara que nenhuma baixa médica foi recebida pela companhia. Isto corresponde à ideia passada pelo procurador de Dusseldorf.»


A baixa médica foi encontrada rasgada, durante as buscas às residências ligadas ao copiloto.