Dois dos três cidadãos tunisinos presos em Guantánamo e três iemenitas foram transferidos para o Cazaquistão, anunciou, esta terça-feira, o Pentágono.

Os cinco homens, cuja libertação foi aprovada sem haver lugar a julgamento, capturados no Paquistão como presumíveis membros da Al-Qaida, estavam presos há mais de 11 anos no centro de Guantánamo que, com esta saída, fica com 127 detidos.

Este ano, os Estados Unidos transferiu para outros países cerca de 30 prisioneiros de Guantánamo, controverso centro de detenção que o Presidente norte-americano, Barack Obama, prometeu a encerrar o controverso centro de detenção antes do final do seu mandato, em janeiro de 2017.