Há um suspeito no caso da menina lusodescendente desaparecida em França. Os media franceses noticiam que um homem foi detido, esta quinta-feira, pela polícia.

De acordo com o canal de televisão francês BFMTV, o homem tem 34 anos e seria um dos convidados do casamento de onde a menina desapareceu.

No entanto, outros órgãos de informação, como o canal público francês, avançam que o homem não fazia parte dos convidados.

A BFMTV adianta que a polícia francesa fala em contradições no discurso e informações falsas por parte do suspeito durante um primeiro interrogatório, razão pela qual decidiu detê-lo esta quinta-feira. As autoridades estão já a fazer buscas na residência do suspeito.

O jornal francês Le Parisien diz ter informações de que o nome do suspeito “aparece no registo criminal automatizado de delinquentes sexuais ou violentos.”

A jornalista do canal de televisão francês La Chaine Info, Maud Vallereau, publica no Twitter que a justiça francesa confirma a colocação em custódia policial esta manhã de um homem de 34 anos presente no casamento e que se ausentou à noite.

A mesma jornalista informa que as autoridades procuram agora clarificar o que o suspeito fez durante um período ou intervalo de tempo que corresponda ao desaparecimento de Maëlys de Araújo.

Maud Vallereau refere que as autoridades se mantêm cautelosas em relação à detenção e não se querem precipitar: "Não devemos ficar entusiasmados, o objetivo é esclarecer certos pontos", diz uma fonte.

Maëlys de Araújo, lusodescendente de nove anos, desapareceu na madrugada de domingo durante uma festa de casamento em Pont-de-Beauvoisin, em Isère, no sudeste de França.

As buscas por Maëlys de Araújo foram reforçadas na quarta-feira com 150 operacionais no terreno, entre agentes da polícia e militares, com o objetivo de procurarem a "mais pequena pista" que possa ajudar a descobrir o paradeiro da criança.

Até à data foram ouvidas 140 das 180 pessoas que estavam na festa de casamento, mas no total a investigação quer ouvir 250 testemunhas, já que simultaneamente decorriam outras duas festas nas proximidades.

Uma das festas decorria no salão paroquial de Pont-de-Bonvoisin, a 350 metros da sala polivalente onde decorria o copo de água, e no qual estava a pequena luso-descendente, e a outra num bar da aldeia a 500 metros do casamento.

Entre as pistas consideradas, a possibilidade de a criança ter sido metida num automóvel e raptada é uma das que está em cima da mesa. Isto porque os cães-pisteiros detetaram o cheiro da menina num parque de estacionamento e depois perderam-no, "o que pode indiciar ter havido um rapto", de acordo com a procuradora de Isère.

Segundo fonte da secretaria de Estado das Comunidades, citada pela agência Lusa, o caso de Maëlys de Araújo, que possui apenas nacionalidade francesa, está a ser acompanhado pelo consulado de Portugal em Lyon, que já conversou com a família para oferecer o apoio necessário.