Mais de 500 montanhistas, sobretudo estrangeiros, foram retirados do Monte Rinjani, perto de um vulcão na Indonésia, onde tinham ficado bloqueados após um forte sismo ter atingido Lombok no domingo, causado deslizamentos de terra, informaram esta terça-feira as autoridades.

Os "543 caminhantes foram retirados" e "chegaram ontem [segunda-feira] à noite. Há agora seis pessoas [nas montanhas]. Eles estão todos de boa saúde", disse o porta-voz do organismo de gestão de desastres, Sutopo Purwo Nugroho, à agência de notícias France-Presse.

O número de mortos no sismo ocorrido no domingo na ilha turística de Lombok, no sudeste da Indonésia, era de 16, segundo o último balanço das autoridades locais, que deram ainda conta de centenas de feridos e milhares de edifícios que desmoronaram.

O sismo de magnitude 6,4, que já teve 124 réplicas, também afetou as ilhas vizinhas de Bali, a oeste de Lombok e principal destino turístico do país, e Sumbawa.

O sismo foi sentido durante cerca de dez segundos em Lombok e causou o pânico entre os moradores, que abandonaram as suas casas.

O arquipélago da Indonésia, com milhares de ilhas, situa-se no chamado Anel de Fogo do Pacífico, uma zona de elevada atividade sísmica e vulcânica.

Em dezembro de 2004, um sismo de magnitude 9,1, registado ao largo da ilha de Samatra, desencadeou um 'tsunami' que matou 230 mil pessoas em mais de dez países.