Um norte-americano de 30 anos recusa-se a sair da casa dos pais, mesmo depois de os progenitores o notificarem com cinco avisos e uma oferta de dinheiro para o ajudarem a encontrar uma casa para viver. Perante a recusa do filho, os pais viram-se obrigados a recorrer à justiça.

De acordo com a CNN, o drama da família de Nova Iorque chegou a tribunal, onde um juiz proferiu a sentença a favor dos pais, Christina e Mark Rotondo, e ordenou que o filho Michael abandonasse a habitação paterna. 

Insatisfeito com a sentença, Michael Rotondo contestou e alegou que tinha de ser notificado com seis meses de antecedência. 

Só quero ter tempo suficiente para sair de casa e peço que tenham em consideração que não estou realmente preparado para me sustentar a mim próprio a tempo das notificações", afirmou Michael à estação de televisão norte-americana WSTM, uma afiliada da CNN.

Christina e Mark Rotondo deram início ao processo judicial no início do mês, depois dos cinco avisos prévios que enviaram ao filho não terem resultado.  

No primeiro aviso, datado de 2 de fevereiro, pode ler-se: 

Depois de uma discussão com a tua mãe, decidimos que tens que sair desta casa, imediatamente. Tens 14 dias para sair. Não vais ter autorização para voltar. Nós vamos tomar as decisões que forem necessárias para isto ir para a frente", escreveu o pai.

Pouco depois deste aviso, os pais decidiram pedir aconselhamento legal e enviar, assim, outro aviso a 13 de fevereiro, onde deram 30 dias a Michael para sair, caso contrário tomariam medidas mais drásticas. Cinco dias depois, noutro aviso, os pais deram alguns conselhos e ofereceram cerca de 900 euros para o filho sair. 

Alguns conselhos para ti:

1. Organiza as coisas que precisas para começar a trabalhar e gerir o apartamento. Nota: vais precisar das coisas escritas. Tens que arranjar uma data e combinar com o teu pai para ele assim ir contigo falar com o teu senhorio. 

2. Vende as coisas que não têm valor simbólico (ex. rádio, algumas ferramentas, etc.). Isto também vale para algumas armas que possas ter. Precisas de dinheiro e não tens espaço para tudo. 

3. Há empregos mesmo para quem não tenha muita experiência como tu. Arranja um, tens mesmo de trabalhar. 

4. Se precisares de ajuda para procurar casa a tua mãe está disponível para te ajudar."

Os pais enviaram ainda outro aviso a 5 de março, onde o avisam o filho que o tempo está acabar. 

Até agora ainda não tivemos nenhuma indicação de que estás preparado para sair. Espero que estejas consciente que vamos tomar ações mais drásticas se forem precisas para termos a certeza de que sais desta casa como estamos a exigir."

No quinto e último aviso, a 30 de março, os pais pedem a Michael retirar o carro avariado que está parado na propriedade e que até o ajudam a pagar a reparação do veículo. 

Apesar de todos os pedidos e avisos do pais, Michael Rotondo recusa-se a sair e os progenitores recorreram ao tribunal para ver se finalmente o conseguem tirar de casa. 

Michael pediu ao tribunal para anular o requerimento e alegou que, nos últimos oito anos, "nunca se esperou que ele contribuísse para as despesas domésticas ou ajudasse nas tarefas domésticas e na manutenção das instalações, e afirma que isso é simplesmente uma componente do seu acordo de vida", segundo os registos obtidos pela WSTM.

Na terça-feira, durante a sessão em tribunal, Michael representou-se a si mesmo e referiu que "por lei, o inquilino tem direito a um aviso de seis meses antes de ser obrigado a sair por meio de ação de despejo".

O juiz Donald Greenwood, do Supremo Tribunal do Estado de Nova Iorque, discordou. 

Ordeno o despejo", afirmou. "Acho que o aviso é suficiente".

 

Michael Rotondo já disse aos jornalistas que vai recorrer da decisão judicial.