O Reino Unido foi alvo da primeira onda de calor dos últimos sete anos, marcada por temperaturas acima da média para esta altura do ano. A subida da temperatura deve-se à deslocação de uma onda de calor proveniente do Deserto do Saara.

Segundo a imprensa britânica, ao longo dos últimos dez dias têm sido registadas temperaturas no Reino Unido superiores às de algumas zonas de Espanha, da Tailândia e até do Havai. Só na quarta-feira, os termómetros registaram 32,2º.

O Reino Unido vai absorver o ar tropical proveniente do sul", explicou Jim Dale, meteorologista da British Weather Services.

Segundo Simon Partridge do Met Office, domingo tinha sido o dia mais quente do ano. Contudo, foram registadas na segunda e na terça-feira subidas na temperatura que atingiram os 34 graus em algumas zonas do Reino Unido.

O clima parece invulgar uma vez que tivemos um mês de junho bastante húmido mas, na verdade, estamos apenas a voltar ao normal", explicou Partridge ao The Telegraph.

Espera-se que o Serviço de Saúde Pública britânico declare um alerta de calor de nível 2, normalmente ativado quando o Met Office prevê a probabilidade de pelo menos 60% de as temperaturas atingirem os 30 graus em mais do que dois dias consecutivos.

O calor trouxe um novo ânimo a toda a hotelaria situada nas zonas costeiras, enchendo as praias e aumentando o registo de vendas das lojas. No entanto, estima-se que pelo menos 760 pessoas tenham morrido devido ao aumento das temperaturas.

Assim, as autoridades estão a tentar prevenir que se repita o sucedido com a onda de calor de 2003, em que se registaram mais duas mil mortes do que é habitual num espaço de duas semanas no mês de agosto.

Ainda assim, espera-se que a temperatura estabilize esta quarta-feira e que a chuva coloque fim a esta onda de calor.