As autoridades de saúde da China, país em que não há casos registados de Zika, estão a preparar-se para fazer face à eventual chegada do vírus portador da doença ao gigante asiático.

O Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da China elevou na sexta-feira o alerta para a possibilidade de o vírus ser importado de outros países e já desenvolveu um método de deteção e começou a instruir o pessoal médico, informou o diário oficial China Daily.

Depois de a Organização Mundial de Saúde (OMS) ter advertido na quinta-feira que o Zika poderia infetar entre três e quatro milhões de pessoas na América em 2016, as autoridades chinesas anunciaram que vão cooperar e trocar informações com outros países para fazer frente aos riscos.