Angola estuda a produção de soro contra veneno de serpentes nativas, num momento em que o país tenta também avaliar o impacto das mordeduras.

Um Estudo Imunoquímico do Veneno das Serpentes em Angola está a ser desenvolvido pela Faculdade de Medicina da Universidade Lueji A'Nkonde de Angola, em colaboração com a Universidade do Porto.

A notícia divulgada esta segunda-feira pelo Jornal de Angola faz referência a um documento daquela universidade com sede na província angolana de Malanje, no norte do país.